quarta-feira, 31 de julho de 2013

Prêmio reconhece trabalho do Sebrae no setor de varejo


Luiz Prado/Luz
Diretor José Claudio dos Santos recebe prêmio em São Paulo
Diretor José Claudio dos Santos recebe prêmio em São Paulo
O Sebrae recebeu nesta quarta-feira (31) durante a terceira edição do Brazilian Retail Week (BR Week), o maior evento do setor, o Prêmio Os Mais Importantes no Varejo 2013. A instituição conquistou o primeiro lugar na categoria Apoio e Capacitação do Pequeno e Médio Varejo. O diretor de Administração e Finanças, José Claudio dos Santos, representou o Sebrae na cerimônia de premiação em São Paulo. "Esse prêmio reconhece nosso trabalho de apoio às pequenas empresas do setor, desde a inovação e revitalização do comércio nas ruas à capacitação de fornecedores da cadeia". 
Concorreram com o Sebrae a Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e a Martins Comércio e Serviço de Distribuição. Ao todo, 39 finalistas disputaram em 17 categorias. As empresas participantes do prêmio foram submetidas a uma avaliação, com duas metodologias distintas, realizada entre abril e maio pela consultoria Accenture, a pedido da revista NOVAREJO.
O primeiro estudo, dividido em cinco categorias, analisou a performance de empresas varejistas do setor de super e hipermercados, atacarejo, magazines, lojas e departamento, shoppings e farmácias. Foram verificados os critérios de Eficiência, Crescimento e Consistência.
Já a segunda pesquisa avaliou dados qualitativos levantados a partir da percepção e experiência dos membros da Banca Examinadora, formada por especialistas das entidades e representantes de classe do varejo brasileiro. Um grande número de empresas foi pré-selecionada e, após uma avaliação baseada em indicadores, três finalistas por categoria foram escolhidas. Todos as instituições que chegaram à final receberão um relatório informativo com os dados do estudo.
Mais informações:
Assessoria de Imprensa Sebrae
(61) 2107-9300
(61) 2104-2770/2769/2766
(61) 3243-7851

segunda-feira, 29 de julho de 2013

3º Encontro de Legislação e Tributação


Em continuidade aos encontros que põem em debate leis e tributos que impactam o comércio eletrônico, acontece amanhã (30/07), em Belo Horizonte - Minas Gerais, o 3º Encontro de Legislação e Tributação promovido pelo SEBRAE. 

O evento é gratuito. Para quem for de Belo Horizonte a participação pode ser feita de forma presencial e para aqueles que forem de outros estados, é possível assistir a transmissão online. 

Inscrições evento presencial: http://migre.me/fCqDQ
Mais informações: 0800 570 0800 ou  www.ecommercelegal.com.br



sexta-feira, 26 de julho de 2013

Como driblar a falta de padronização nas medidas do vestuário nacional

Fonte: SEBRAE 2014

A padronização de medidas do vestuário facilita a compra do consumidor nacional e internacional e torna o processo produtivo mais econômico e sustentável, por evitar ponta de estoque. Além disso, garante melhor qualidade de caimento e conforto do consumidor. É o que aponta o Boletim Sebrae 2014, que trata sobre o padrão de medidas brasileiro. 

Há outras vantagens na padronização, principalmente para a comercialização das peças. Por exemplo, unifica as regras de medidas de uma confecção para outra e facilita identificação de tamanhos na hora da compra e também contribui para a venda via loja virtual. O mais importante de tudo é que estas iniciativas evitam que o consumidor perca tempo e dinheiro. 

O empresário de moda nacional que busca atender a clientes internacionais deve atentar para a padronização de medidas, que contribui para a ampliação da abrangência de seus produtos. Para isso, antes de mais nada, deve revisar suas tabelas de medidas, verificando qual padrão tem sido praticado. A seguir, deve definir quais padrões internacionais serão incluídos junto a numeração nacional nos produtos (EUA, Inglaterra, Europa). 

 Acesse abaixo o boletim sobre moda e confira estas iniciativas:

quinta-feira, 25 de julho de 2013

O grande mercado das pequenas empresas

De acordo com a terceira edição do Estudo Mercado de Vizinhança, elaborado pela GfK Brasil, as vendas do pequeno varejo cresceram novamente no ano passado. Estudo completo traz o perfil das lojas e dos supermercadistas e mapeia aspectos vitais como gestão e relação com fornecedores.

Acesse o estudo abaixo:


quarta-feira, 24 de julho de 2013

Como montar uma loja de auto peças

Fonte: Franquia Empresa (adaptado)

 O empreendedor interessado em montar uma loja de autopeças, deve conhecer bem o ramo de negócio em que está se envolvendo. Entre os principais  fatores a serem adotados pela empresa, para o sucesso do negócio estão,  a localização, a qualidade de atendimento, conhecimento de administração de controle do estoque, planejamento das compras e estrito controle de inventários, receitas e despesas.

Estoque: As lojas de auto peças exigem um bom estoque e controle de entrada e saída das peças. Crie um planejamento de negócios para decidir as peças do estoque. Ter algum conhecimento sobre o mercado de auto peças poderá ser de grande ajuda no momento da criação do projeto.

Produtos: O empresário dono de uma loja de auto peças tem como prioridade,  saber quais produtos oferecer para o cliente.Caso não haja qualquer experiência na área,  uma pesquisa de mercado deverá ser administrada por um profissional.

Localização:O local ideal para se montar uma loja de auto peças deve se localizar próximo à oficinas mecânicas, funilarias e borracharias.

Estrutura: Dependendo do planejamento do negócio a ser montado, é indicado que a área de uma loja de auto peças não seja menor que 80m².O estabelecimento deverá ser divido entre escritório, copa e banheiro para funcionários, estoque e loja.

Equipamentos: Você irá precisar de,  um computador, telefone e fax, um emissor de Cupom Fiscal, vitrine para produtos de luxo, balcão e prateleiras para estoque de produtos. 

Dica: Empresas de lojas de Auto Peças estão aumentando o seu faturamento mensal, investindo em lojas virtuais, ou e-commerce.

terça-feira, 23 de julho de 2013

3 dicas para lidar com preços no e-commerce


Um dos fatores mais atrativos para o seu negócio virtual é, sem dúvidas, o preço. O consumidor busca relacionamento, qualidade e segurança, mas também está de olhos abertos para os preços e está informado por meio dos comparadores. Por isso, é importante trabalhar bem o custo de cada item e ser transparente na hora de informá-los. Veja algumas dicas:

Exposição
O preço do que você está oferecendo deve estar sempre bem visível e junto à imagem de seu produto. É importante mostrar, ainda, os valores com possíveis descontos e preços de parcelamento com destaque. Nunca engane seu cliente, mostrando um valor em um momento e outro no fechamento da compra, pois este tipo de “estratégia” irá detonar sua credibilidade.

No carrinho
Opte sempre pelo cálculo imediato do valor gasto. Facilite, mostrando os itens, os valores, os descontos e o frete durante todo o processo de navegação. Usando este recurso, seu cliente pode acompanhar com clareza seus gastos e o impacto de cada item adicionado, podendo, inclusive, comprar mais em sua loja.

Classificação por preço
Classificar os produtos pelo preço também ajuda a aumentar a conversão. Além de o cliente perceber que tem poder de compra neste ambiente, a ferramenta incentiva a compra e melhora a experiência do cliente. Com a classificação, fica fácil comparar os produtos de acordo com seu valor e as chances de o cliente sair satisfeito são maiores.

Não se esqueça de definir bem os seus preços e pensar no custo x benefício do lojista, sem prejudicar os clientes, visando sempre aumentar o ROI.



segunda-feira, 22 de julho de 2013

Alto da Julio vai desenvolver ações culturais com apoio da Lei Rouanet


O Programa de Revitalização de Espaços Comerciais, que em Francisco Beltrão, no sudoeste do Paraná, desenvolve ações há quatro anos com lojistas estabelecidos na Avenida Julio Assis Cavalheiro, entre a Travessa Frei Deodato até a Rua Luis Antonio Faedo, região conhecida como Alto da Julio, comemora mais uma conquista. O projeto realizado em Francisco Beltrão foi o primeiro da modalidade no Paraná a ser selecionado e ter recursos aprovados por meio da Lei Rouanet, a Lei de Incentivo à Cultura.

O grupo de 34 empresas que integram o projeto completou a fase de planejamento para investir em ações culturais, utilizando recursos da legislação para fortalecer os micro e pequenos negócios estabelecidos no trecho do Alto da Julio.  A Lei de Incentivo à Cultura permite o aporte de recursos por meio de incentivos fiscais.

A legislação possibilita que cidadãos e empresas apliquem parte do Imposto de Renda (IR) devido em ações culturais, como planejam os empresários e parceiros do Programa de Revitalização de Espaços Comerciais em Francisco Beltrão.

Guy Mauro Berhorst, empresário e presidente da Associação de Potencialização de Espaços Comerciais de Francisco Beltrão (APEC), conta que atração de recursos através da Lei Rouanet tem como objetivo incentivar a arte e cultura local e regional, estabelecendo também uma nova dimensão para as empresas de comércio e serviços do Alto da Julio. 

“Dentro do projeto do Alto da Julio, temos a missão de transformar o setor no espaço comercial mais atrativo da cidade e da região sudoeste. Assim, com o foco em projetos culturais podemos apoiar os valores da cultura local e regional, estimular a participação das pessoas e fortalecer o comércio”, pondera.

As ações culturais que serão desenvolvidas até o final de 2014 acontecerão paralelamente a datas comemorativas, como os dias dos Pais, Mães, Namorados e épocas de Páscoa e Natal com a identidade “Alto da Julio com Arte”. Danças típicas, teatro, artesanato, música com orquestras de viola e corais serão algumas das atrações que serão apresentadas ao público.

“Estadualmente, o grupo realizou uma inovação dentro do programa, que vai estimular a cultura e fomentar negócios no Alto da Julio. As empresas participantes contribuirão para o crescimento cultural da cidade e região, agregando reconhecimento social, exposição e aumento do valor percebido das suas marcas”, detalha a consultora do Sebrae/PR, Jocelei Fiorentin.

O Programa desenvolvido pelo Sebrae/PR e Sistema Fecomércio Sesc Senac PR revitaliza e organiza comércio de rua dentro do conceito de um centro comercial ou shopping a céu aberto.

São parceiros da iniciativa em Francisco Beltrão a Prefeitura Municipal, Câmara da Mulher Empreendedora, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Associação Comercial e Empresarial (ACEFB), Associação de Moradores e Comerciantes do Centro (AMOCCEN), Associação de Potencialização de espaços Comerciai (APEC),     NUBeTEC - Núcleo de Imobiliárias, Sindicato do Comércio de Francisco Beltrão (Sindicom), Unimed, UTFPR, UNIPAR,  UNIOESTE e imprensa local.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Como escolher a franquia ideal

Fonte: PEGN

Com 2.426 redes e um faturamento bilionário, o setor de franquias atrai cada vez mais empreendedores. Investir no mercado de franquias é seguro, mas é importante identificar a franquia ideal para o seu perfil, bem como fazer a lição de casa e pesquisar e entender a estrutura operacional do negócio e a necessidade de investimento.

Assim como em outros aspectos de nossa vida, para ter sucesso no franchising é preciso compromisso, responsabilidade e dedicação.
Alguns pontos importantes precisam ser observados por todos aqueles que pretendem ingressar no mundo do franchising:

- valor do investimento;
- prazo de retorno;
- rentabilidade;
- afinidade com o segmento;
- empatia com a marca;
- atração pelo modelo de negócio;
- resiliência frente às dificuldades iniciais que possam surgir;
- análise detalhada da circular de oferta de franquia e do contrato de franquia;
- análise dos demonstrativos de resultados e balanços da empresa
- conversas com os franqueados da rede;
- conversas para tirar as dúvidas com o responsável pela rede.

O franchising brasileiro conquista adeptos diariamente. Se for seu desejo ingressar nesse mercado, a sugestão é fazer muita pesquisa e uma análise apurada para pautar sua escolha.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

5 mitos sobre dinheiro que os empreendedores ainda seguem

Fonte: Exame

Hoje, três em cada dez pequenas empresas brasileiras não sobrevivem aos dois primeiros anos do negócio, segundo dados recentes do Sebrae. Em parte, a falta de capacidade de gestão é responsável pelo fim de muitos negócios.

Cuidar bem das finanças é essencial para pequenas empresas. Muitas vezes sem uma equipe, o próprio empreendedor assume o papel de gerir e administrar todo o negócio. O problema é que empresas de pequeno porte podem não ter capacitação adequada e os erros recorrentes levam o negócio à falência. Com amadorismo, os empreendedores ainda acreditam em mitos sobre finanças que podem ser fatais ao negócio.

1. Vender mais dará mais lucro

É verdade que aumentar as vendas pode também aumentar os lucros, mas nem sempre isso é verdade. Segundo Maurício Galhardo, da Práxis Business, o lucro acontece quando há controle financeiro e dos gastos. “Se não tem uma margem boa, vender mais significa jogar a empresa no buraco”, diz Galhardo.

2. Falta de lucro é o fim do negócio

O professor de finanças do Insper Angelo Corsetti diz que muitos empresários acreditam que o lucro é o indicador mais importante da saúde do negócio. Mas nem sempre funciona assim. “Uma empresa quebra não é por falta de lucro, é por falta de caixa. Às vezes, o sujeito que é amador imagina que uma empresa não vai quebrar por que tem lucro. Mas quem determinará isso é o fluxo de caixa”, explica Corsetti.

3. Dono deve ter uma retirada mensal

Muitos chamam de pró-labore, outros de participação nos lucros. O importante para muitos empreendedores é fazer uma retirada mensal de dinheiro da empresa.
Ele tem o direito de tirar o dinheiro todo mês, mas uma pequena empresa nem sempre dá essa condição. Ela pode ter sazonalidade e não fechar no azul. Se o dono não tiver esse controle, ele tira dinheiro e afunda ainda mais o negócio”, afirma Galhardo.

O ideal, segundo ele, é ter um planejamento para saber em quais meses é possível fazer a retirada sem prejudicar o negócio. “Há meses que ele pode tirar duas vezes e outros não. Ele precisa entender o fluxo de caixa da empresa e o pessoal”, diz o consultor.

4. Não há diferença entre contas pessoais e jurídicas


Muitas pessoas ainda acreditam que não há problema em misturar finanças de empresa e pessoais. “Como saber se o negócio está indo bem ou não se tem contas pessoais ali no meio”, questiona Galhardo. Se usar o dinheiro do negócio nas contas pessoais, é preciso registrar o valor, para saber como está o resultado real da empresa.

5. Planejamento é perda de tempo


Um planejamento financeiro bem feito pode exigir tempo e informações do empresário. Por falta de um ou outro, muitos não fazem um planejamento adequado e acabam instalando uma gestão amadora na empresa. A margem de lucratividade, o giro de ativos e a geração operacional de caixa devem ser dados conhecidos do empreendedor que quer expandir. “A empresa precisa crescer, mas tem que crescer de maneira sustentável e lucrativa”, diz Corsetti.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

‘Experimentação’ é tendência no comércio varejista

Fonte: ASN

Ações especiais transformam compra em momento de convivência do consumidor; em Marechal Cândido Rondon, ideia vira prática e atrai resultados positivos

Os carros passaram a ser os “donos das ruas” e as pessoas estão deixando de ocupar um espaço que sempre foi delas, para integração social. A frase é do consultor do Sebrae/PR, Osvaldo César Brotto, ao explicar que a rua deve ser resgatada como ambiente de convivência entre as pessoas. Ação que foi estimulada no centro de Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná, no último sábado, com a realização do “Arraiá do Espaço Rondon, na Rua Santa Catarina”. 

“Há uma tendência atual sobre a realização de eventos para atrair consumidores. Em ruas de comércio, isso também pode acontecer, não serve apenas para os grandes shoppings. O Arraiá, em Rondon, foi um exemplo de que ‘shopping a céu aberto’ também precisa de atrativos e ações que transformem o puro ato de comprar em uma experiência de convivência, de experimentação”, destaca Osvaldo Brotto. 

Ainda de acordo com o consultor, além de fazer compras, as pessoas podem participar ativamente do comércio local em festas como essa. “São cerca de 30 lojistas nessa rua, mas o evento agregou mais experiências: barraquinhas de produtos típicos, apresentações culturais, brincadeira para crianças, dentre outros atrativos que chamaram a atenção do consumidor para ficar mais tempo no local”, conta. 

O Arraiá foi uma das ações do Projeto Espaço Rondon que faz parte do Programa de Desenvolvimento de Espaços Comerciais, iniciativa do  Sebrae/PR e Sistema Fecomércio Sesc Senac PR junto a entidades locais. O objetivo do Programa é transformar o comércio de rua da área central do município em um verdadeiro “shopping a céu aberto”. 

Na visão do vice-presidente para assuntos do comércio da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária do município (ACIMACAR), Sergio Antonio Marcucci, o evento foi o pontapé para outros que serão criados para fomentar o comércio local. “Com os resultados positivos, já programamos um desfile para setembro. De pouco em pouco, os eventos vão caindo no gosto do povo”, enfatiza. 

A empresária Voni Berta do Amaral tem uma loja na Rua Santa Catarina há 31 anos e disse que nunca tinha sido feito nada parecido no local. “A ideia foi maravilhosa, as atrações ótimas e o ambiente que se criou estava bem agradável. O que temos que fazer é tornar os eventos periódicos, melhorar a cada um e fazer a ideia ‘pegar’, para que mais pessoas possam prestigiar”, sugere. 

Novos rumos
Além de eventos, o Espaço Rondon prevê ainda mais mudanças no centro do município. O projeto é gerido por representantes do Sebrae/PR, Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, ACIMACAR, Sindicato do Comércio Varejista de Marechal Cândido Rondon (Sindicomar), Prefeitura e Câmara Municipal, Cooperativa de Agentes Ambientais (Cooperagir), Associação Regional dos Engenheiros e Arquitetos (Area), Sicoob e Sicredi. 

“Várias etapas vêm sendo cumpridas, desde 2010, para desenvolver a metodologia do Programa de Desenvolvimento de Espaços Comerciais, que também atende a outras cidades no Paraná. O próximo passo, em Rondon, é o investimento em infraestrutura, pelo poder público, que deve acontecer ainda neste semestre”, contextualiza Osvaldo César Brotto, do Sebrae/PR. 

“O Arraiá marcou a presença do Espaço Rondon na cidade e mostrou ao lojista o quanto é importante contar com o apoio das entidades integrantes. Naquele dia, a rua era para as pessoas. Um ambiente de experimentação, de compras, de interação, de convivência. Quem foi, com certeza permaneceu na rua por mais tempo e desfrutou de todas as atrações diferenciadas para o evento”, assinala. 

Informações para a imprensa:
Savannah Ações em Comunicação - empresa licitada do Sebrae/PR
Assessoria de Imprensa Sebrae/PR - Regional Oeste: Juliana Dotto(45) 3038-5679 / 9914-8152  jornalismocascavel@savannah.com.brLeandro Donatti – Jornalista do Sebrae/PR –  (41) 3330-5895 ou (41) 9962-1754

terça-feira, 16 de julho de 2013

O estoque encalhou? E agora, o que fazer?


Fonte: Desconstruir (adaptado)

Muitos comerciantes têm problemas com o estoque. Apesar do controle de estoque feito por eles, muitas vezes algo sai fora do planejado. Estoque parado é dinheiro parado e isso todo empreendedor sabe muito bem. 
Se você está com o estoque parado ou quer saber como resolver esse problema caso um dia isso aconteça com você, veja 5 dicas abaixo.
1 – Faça uma liquidação:
Uma liquidação gera movimento na loja. Ofereça produtos em liquidação em conjunto com produtos que não estão em liquidação. 
2 – Divulgue em sites de compra coletiva:

Se sua cidade possui sites de compras coletivas convém conversar com o pessoal responsável pelo site e propor uma parceria.

3 – Divulgue todas as suas estratégias ao público:

Fale sobre suas promoções e liquidações ao seu público através do seu site e loja.  Coloque faixas, cartazes, adesivos na vitrine.
4 – Use o seu banco de dados para informar aos seus clientes sobre suas promoções:

O banco de dados de qualquer empresa é uma mina de ouro. Envie por e-mail uma newsletter informando todos os clientes da sua base de dados a sua promoção/liquidação. Procure sempre manter os antigos clientes.

5 – Em última instância tente renegociar o estoque encalhado:

O estoque encalhou e você tentou de tudo, mas nada dele diminuir? Converse com o seu fornecedor e proponha revender a ele o antigo estoque ou propor uma parceria para uma possível liquidação. Essas estratégias têm funcionado para diversos empreendedores modernos e você pode se valer delas para desencalhar um estoque.


segunda-feira, 15 de julho de 2013

Fraudes no e-commerce – Algumas dicas sobre como evitá-las



Com o rápido e expressivo crescimento do e-commerce no Brasil, as lojas ficam cada vez mais expostas para ações fraudulentas, como, aliás, vem ocorrendo no mundo inteiro. Dessa forma, é necessário que os varejistas invistam em meios para combater o roubo de dados dos consumidores e compras irregulares. A questão da segurança no e-commerce é fator fundamental para o sucesso de uma loja virtual. Isso, não apenas como uma decisão estratégica da empresa, mas também como forma de até mesmo se adaptarem a determinações legais, como as impostas pelo Código de Defesa do Consumidor e Procon.

Segundo pesquisa da FControl, empresa do Buscapé Company, entre janeiro e outubro de 2012 houve um aumento de 3,2% nas tentativas de fraude no comércio eletrônico brasileiro, o que resultou na perda de 0,4% do faturamento do segmento. Essa é uma tendência que tende a aumentar no Brasil.

Confira algumas dicas para lojistas terem um ambiente mais seguro, manterem os clientes e não perderem vendas.

Certificação Digital
Por meio de um canal de criptografia, esse tipo de certificado garante a autenticidade do site e total privacidade e integridade dos dados do visitante. As informações do consumidor são transformadas em códigos, dessa forma os fraudadores que atuam no e-commerce não conseguem capturar os dados do comprador.
A identificação de uma loja virtual que possui certificação digital é feita por meio do HTTPS://, o cadeado no rodapé da página aparece e algumas vezes é possível identificar também pela barra de endereços que aparece com cores diferentes, como o verde, que indica que está tudo ok.

Solução Antifraude
Existem diversas ferramentas no mercado com tecnologia especializada para analisar o risco das transações realizadas no comércio eletrônico. Por meio da conferência de dados como endereço IP, região de entrega, valor da compra, tipos de produtos, domínio de e-mail, entre outros, é possível identificar as possibilidades de fraude.
Quando a ferramenta barra uma venda, dá para fazer uma conferência manual para checar a veracidade da ação, como ligar para o consumidor e checar se ele fez aquela compra.

Meios de Pagamento
A opção de terceirizar, utilizando intermediadores nas transações do comércio eletrônico ajuda no combate à fraude dos compradores. Os gateways facilitam a transferência de informações entre a Loja Virtual e a operadora de cartão de crédito, e os maiores deles já agregam ferramentas de gestão de risco.









sexta-feira, 12 de julho de 2013

Características de um empreendedor de sucesso


Fonte: SEBRAE (adaptado)

O empreendedor tem como característica básica o espírito criativo e pesquisador. Ele está constantemente buscando novos caminhos e novas soluções, sempre tendo em vista as necessidades das pessoas. A essência do empresário de sucesso é a busca de novos negócios e oportunidades, além da preocupação com a melhoria do produto. 

Algumas características do empreendedor de sucesso:

- O empreendedor faz o que deve ser feito antes de ser solicitado ou forçado pelas circunstâncias.

- Age para expandir o negócio a novas áreas, produtos ou serviços.
- Aproveita oportunidades fora do comum para começar um negócio, obter financiamentos, equipamentos, terrenos, local de trabalho ou assistência.
- Age para reduzir os riscos ou controlar os resultados.
- Coloca-se em situações que implicam desafios ou riscos moderados.
- O empreendedor encontra maneiras de fazer as coisas melhor, mais rápido, ou mais barato.
- Desenvolve ou utiliza procedimentos para assegurar que o trabalho seja terminado a tempo e que atenda a padrões de qualidade previamente combinados.
- O empreendedor age diante de um obstáculo significativo.
- Age repetidamente ou muda de estratégia a fim de enfrentar um desafio ou superar um obstáculo.
- Assume responsabilidade pessoal pelo desempenho necessário para atingir metas e objetivos.
- O empreendedor faz um sacrifício pessoal ou despende um esforço extraordinário para completar uma tarefa.
- Colabora com os empregados ou se coloca no lugar deles, se necessário, para terminar um trabalho.
- Se esmera em manter os clientes satisfeitos e coloca em primeiro lugar a boa vontade a longo prazo, acima do lucro a curto prazo.

Aposte em um perfil criativo e inovador.



quarta-feira, 10 de julho de 2013

Como atender bem o meu cliente?

O SEBRAE/PR lançou por meio da série "Como fazer"  o Especial Pequenas Empresas. Confira no vídeo abaixo 8 dicas de como atender bem e fidelizar o seu cliente.

video

terça-feira, 9 de julho de 2013

Como diminuir perdas de estoque no pequeno varejo

Fonte: Saia do Lugar (adaptado)


Uma das principais preocupações do pequeno varejo são as perdas.

As perdas de estoque podem ser calculadas através da diferença entre os relatórios contábeis e o inventário físico. Os principais motivos destas perdas abrangem principalmente aos furtos e fraudes, mas podemos citar tanto os erros administrativos quanto os operacionais. Entender melhor cada ponto e precaver-se pode gerar ótimos resultados para sua empresa:
  • Furto – O furto pode ser tanto de uma pessoa interna ou externa à empresa, que identificam quais são os pontos vulneráveis e realizam suas ações. Ao identificar um furto o ideal é comunicar imediatamente aos órgãos competentes, pois provavelmente você não é o único a sofrer esta perda.
  • Fraudes – São situações bem complexas, pois podem ser realizadas tanto por funcionários quanto terceiros (fornecedores ou clientes). Pode-se citar como exemplo a operação realizada por um funcionário que troca dinheiro por cheque roubado ou a compra de produtos por um cliente com cartão de crédito roubado e documentos falsos.
  • Erros administrativos – São falhas de processos que geram erros nas informações dos estoques contábeis. Um exemplo é a entrada no sistema de quantidades erradas de produtos.
  • Erros operacionais – São considerados desperdícios mais fáceis de serem corrigidos, pois algumas medidas de melhoria reduzem significativamente estes erros. Um exemplo típico deste erro é o não usar o método PEPS (primeiro que entra é o primeiro que sai), que implica na possibilidade de perda de produtos por prazo de validade.
Em todos os casos, o melhor a fazer é analisar de todos os pontos críticos e imediatamente criar ações preventivas que mudem procedimentos e atitudes. Lembrando que o treinamento da equipe será decisivo na implantação destes novos procedimentos.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

5 Dicas para Comércio Eletrônico no Celular (Mobile Commerce)

Fonte:  Dothcom.net

O fato de você poder ver o seu comércio eletrônico em um Smartphone não significa que ele é otimizado para celulares.
Pense sobre a experiência dos usuários quando eles vêem o seu site nos aparelhos móveis. Eles podem facilmente ler o que está na tela, sem precisar dar um zoom? Você tem muitos links difíceis de clicar, em vez de botões que facilitam a navegação? Respostas a perguntas como essas podem ajudar a determinar se as pessoas que visitam o seu comércio eletrônico podem facilmente completar as ações desejadas, como comprar algo ou simplesmente fazer contato com você.

1. Rapidez:
Usuários de mobile commerce normalmente têm pouco tempo e encaixam tarefas on-line entre os compromissos do dia, por isso é importante que o site carregue rápido, que o conteúdo seja de fácil visualização e que as informações sejam facilmente acessíveis.
Priorize as informações e recursos que os usuários mais precisam e procuram nos sites. Use as ferramentas de análise de seu site para computador, para ver o que os usuários de celular estão fazendo, essa análise vai ajudar a determinar os conteúdos mais populares.
Reduza grandes blocos de texto e utilize itens com marcadores que facilitem a leitura.
Deixe as imagens compactas para que o site carregue mais rápido.

2. Navegação simples:
Ninguém gosta de coisas confusas. Uma navegação clara e a funcionalidade de pesquisa, em sites grandes ou complexos, ajudam seus clientes a encontrarem o que precisam.
Use uma hierarquia clara para a navegação, onde os usuários possam clicar e evitar o uso da barra de rolagem. Tente fazer com que o seu conteúdo caiba na tela, mas se a rolagem for necessária, use a rolagem vertical.
Ajude os usuários a navegarem sempre destacando os botões “voltar” e “início”.
Utilize até sete links por página de navegação.
Deixe sempre uma caixa de pesquisa em destaque para sites com muita informação.

3. Fácil para os dedos:
As pessoas usam seus dedos para manusear dispositivos móveis, especialmente os polegares.
Desenvolva um site que permita uma fácil interação, mesmo para quem tem as mãos grandes.
Use botões grandes e centralizados e proporcione espaço extra para evitar cliques acidentais.
Aumente botões menores para ampliar a área clicável.
Aumente a área das caixas de seleção tornando os textos clicáveis.

4. Visibilidade x Acessibilidade:

Visibilidade: Um site otimizado para celular transmite sua mensagem sem cansar a vista dos usuários. Facilite a leitura para seus clientes. Eles podem estar em um ambiente com pouca luz.
O conteúdo deve caber na tela e o texto deve ser legível sem os usuários precisarem aumentar o zoom para ampliar. Criar contraste entre fundo e texto e usar cores para indicar a prioridade de links e botões, facilitará a leitura de textos em móbiles.

Acessibilidade: O ideal é que seu site mobile funcione em todos os dispositivos móveis e todas as orientações de tela que eles estiverem. Encontre alternativas ao Flash, pois ele não funciona em alguns dispositivos, e isso pode prejudicar a conversão do seu comércio Eletrônico. Use HTML5 para oferecer interatividade e animações. Adapte seu site para as orientações vertical e horizontal e mantenha os usuários no mesmo lugar quando mudarem a orientação.

5. Conversões:

Fazer compras ou entrar em contato deve ser uma tarefa fácil. Enfatize as informações que ajudam a gerar conversões (por exemplo, detalhes de produtos, fotos e informações de localização). Reduza o número de etapas necessárias para concluir uma transação. Mantenha os formulários curtos, utilizando o menor número  de campos possíveis e use a funcionalidade “clique para ligar” com todos os números de telefones.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Dicas para ganhar o cliente

Fonte: Economia UOL

A fidelização do cliente é o maior benefício de estreitar a relação com ele, segundo o consultor de marketing do Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa) Gustavo Carrer. Além de comprar, o consumidor recomenda a empresa para pessoas do seu círculo de amizades.
 "O maior nível de fidelização é quando o cliente passa a ser um advogado do negócio, defendendo-o diante de críticas negativas", diz.
Confira abaixo 5 dicas para conquistar o cliente e chegar a este nível:

Cadastro em dia
A criação de um cadastro é importante para dar tratamento especial ao cliente. A empresa pode mandar um e-mail ou ligar dias antes do aniversário dele para cumprimentá-lo ou mesmo para anunciar uma oferta ou desconto.

Adaptação do negócio
O negócio é quem deve se adaptar ao cliente e não o contrário. Procure ouvir opiniões e sugestões dele sobre novos produtos e melhorias na empresa.

Canais de comunicação
Ofereça meios para o consumidor se comunicar com a empresa. Pode ser por meio de uma caixinha de sugestão ou com mensagens nas redes sociais.

Resposta rápida
Quando o cliente envia uma dúvida, crítica ou sugestão, a resposta tem de ser rápida. Nos meios digitais, deve ser no mesmo dia. Já uma carta pode ser respondida em até uma semana.

Treinamento da equipe
De nada adianta o esforço do dono se seus funcionários não conhecem a cultura e os valores da empresa. Treine a equipe para abordar o cliente da maneira correta e acompanhe o dia a dia do negócio.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Abordagem ao cliente: primeiro passo de venda

Fonte: Varejista


A forma como você aborda os clientes que entram em sua loja é fundamental e constitui o primeiro passo referente à venda. Por essa razão, é importante desenvolver ao máximo a eficiência de sua abordagem. Confira algumas dicas:

• Cumprimente todos os clientes que entrarem em sua loja, pois são compradores em potencial;
• Antes de fazer qualquer pergunta, sorria e faça contato visual com eles;
• Inicie a conversa de maneira agradável, sem entrar direto no mérito da compra;
• Dê atenção a todos os clientes, mesmo que você já esteja atendendo outra pessoa. Para tal, aborde-os dizendo “Estamos ocupados, mas num minuto alguém irá atendê-los. Fiquem à vontade para dar uma olhada pela loja”;
• Dê um tempo aos clientes após cumprimentá-los. Aproxime-se deles novamente, de modo que faça uma pergunta que seja capaz de transformar a conversa na razão que os trouxeram à loja;
• Sempre que possível, ofereça-os um atendimento personalizado;
• Opine, honestamente, em relação às compras, pois isso fortalecerá a confiança deles em você, além de ser o correto a fazer;
• Não deixe de manter contato com os clientes, mantenha-os sempre atualizados quanto às novidades de sua loja.

Seguindo essas dicas, você verá como suas abordagens de venda se tornarão mais produtivas e eficazes.

terça-feira, 2 de julho de 2013

20 dicas rápidas sobre Marketing de Varejo


Lojistas e pequenos comerciantes normalmente tem dificuldades em parar e efetuar um plano de marketing e promoção do seu negócio. Confira algumas dicas rápidas e de fácil aplicabilidade para melhorar sua divulgação.
1- Desenvolva uma logomarca que contenha a informação sobre o seu tipo de negócio.
2- Caso sua logomarca não possua esta informação, coloque-a no verso do seu cartão de visitas.
3- Imprima panfletos e distribua em outras lojas parceiras.
4- Sempre tenha seu cartão de visitas com você e distribua para todas as pessoas que você tiver contato. Fale do seu negócio.
5- Desenvolva um calendário anual. Pode ser imã de geladeira, de mesa, de bolso ou o tradicional (folhinha).
6- Desenvolva uma frase de efeito (assinatura) sobre seu negócio e imprima-a em todos seus materiais: cartões de visita, folhas de fax, assinaturas de email, panfletos e folhetos.
7- Inclua declarações sobre sua qualidade de serviços ou de produtos declaradas por seus clientes mais fiéis.
8- Faça um calendário promocional do seu negócio, estabelecendo prazo das promoções e temas, para cumprir anualmente.
9- Estabeleça um percentual do seu faturamento para ser investido em ações de marketing e se possível, faça um plano de marketing baseado no montante financeiro, com ações feitas mês a mês.
10- Imprima sua logo em camisetas e distribua para seus colaboradores usarem como uniforme.
11- Melhore a arrumação de seus produtos no ponto de venda.
12- Consulte as melhores cores para serem aplicadas no seu negócio no meu blog e aplique em materiais, pintura de fachada, pintura interna, decoração e materiais promocionais.
13- Disponha de seu tempo e incentive também sua equipe para participar ao menos uma vez ao ano de um trabalho voluntário em sua comunidade. Na ocasião comunique isso na sua região através de faixas e camisetas para sua equipe.
14- Faça vitrines de seus produtos e as divulgue em outras lojas parceiras.
15- Crie uma área de espera agradável para seus consumidores dentro de sua loja, com cadeiras, flores e preferencialmente um bom e velho cafezinho e água frescos.
16- Capte os dados de seus clientes em um banco de dados.
17- Envie as promoções para este banco de dados através de email.
18- Presenteie uma vez ao ano seus melhores clientes.
19- Escolha o melhor vendedor de sua loja para receber um treinamento de vendas e peça a ele que treine os demais componentes da loja, repassando o conhecimento adiante.
20- Crie um programa de fidelidade para incentivar a re-compra.
Procure escolher algumas destas ações para serem feitas ao longo do ano e, assim, cada dia mais, captar novos clientes e incentivar a re-compra.