sexta-feira, 29 de julho de 2016

Fórum discute caminhos do comércio eletrônico e lança Pesquisa do Varejo Online


Fórum E-Commerce Brasil 2016, maior evento da América latina sobre e-commerce, chega em sua sétima edição.  Nos dias 26 e 27 de julho, São Paulo recebeu um numeroso time de especialistas. A proporção do evento seguiu as tendências do mercado nacional, segundo o relatório mundial de varejo e-commerce - eMarketer (Vendas: 2013-2018), publicado em janeiro de 2015, o Brasil é o quinto país com maior potencial de crescimento das vendas online em todo o mundo.

Nestes dois dias de atividades técnicas e de negócios, cerca de 7 mil profissionais que atuam no mercado online tiveram a oportunidade de vivenciar e aprimorar seus conhecimentos com palestrantes que discutiram tendências, cenários e impactos dos negócios online. Neste fórum também foi divulgado os dados mais recentes da 3º Pesquisa do Varejo Online elaborada pelo Sebrae em parceria com o E-Commerce Brasil.

3ª Pesquisa Nacional do Varejo Online

O comércio virtual teve mudanças significativas em 2016, segundo a 3ª Pesquisa Nacional do Varejo Online feita pelo Sebrae em parceria com o E-Commerce Brasil. A pesquisa foi divulgada no dia 26 de julho durante o Fórum E-Commerce Brasil 2016. Foram 2.781 entrevistas sendo mais de 800 delas com empresas que têm e-commerce.

O objetivo desse levantamento sobre perfil das empresas, indicadores de gestão e da operação das lojas virtuais no Brasil é disseminar informações sobre o comércio eletrônico criando um panorama adequado para orientar os empreendedores a partir de estratégias que colaborem com a melhoria da gestão da empresa, organização das finanças, logística, entre outros fatores que ajudem o empresário a aumentar o seu faturamento.

Veja alguns resultados:
  • Dos participantes, 53% são de e-commerce puro e 47% e-commerce misto (loja física + loja online).
  • Dos 53% de e-commerce puro, 84% são enquadrados como MEIs (Microempreendedores Individuais).
  • 71% são MPEs (Micro e Pequenas Empresas) quando levado em consideração os que atuam no e-commerce e também possuem loja física.
  • 90% são pequenos negócios, quando levado em consideração os que atuam somente no comercio eletrônico, ou seja, não tem loja física.
  • Lojas online são novas, existem, em média, há quatro anos.
  • Comparado com os anos anteriores, a concentração das sedes de e-commerce no sudeste e sul diminuíram, mas ainda representam 76% das sedes.
  • Principais dificuldades na rotina de gestão do e-commerce: tributação, logística e marketing.
  • Taxa de conversão continua 1,5%, a mesma do ano anterior.
  • O abandono de carrinho caiu de 38% para 34%.
  • O whatsapp tem crescido a cada ano como um canal de venda (18% em 2014, 34% em 2015 e 49% em 2016).
  • A principal dificuldade das empresas que atuam no varejo online passou a ser tributação, que em 2015 estava em 3º lugar, seguido de logística e marketing, que ocupam a segunda e terceira colocação – respectivamente – no ano anterior.

Além dos auditórios de Vendas, Gestão e Tecnologia, o Fórum ainda ofereceu uma série de atividades extras como Experience Lounges, Startups DemoDays, exposição da expedição: O Melhor Vendedor do Brasil, E-Commerce Brasil PUB, a seção “Fale com o palestrante”e os workshops de Design ThinkingDiversos profissionais estiveram presentes para contar sobre as experiências vividas com esse mercado, tirar dúvidas dos varejistas e orientar sobre as soluções adequadas para cada negócio.

Dentre os conteúdos estratégicos foram contempladas diversas áreas de interesse para o comércio com a plataforma online: experiência do cliente, marketing, estratégias de conversões de vendas, atendimento ao cliente, tecnologias omnichannel e integrações, gestão, logística, móveis, de dados grandes, inteligência de negócios, gestão de pessoas, inteligência artificial e arquitetura de informações, SEO, busca, mídia programática.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário