segunda-feira, 28 de julho de 2014

9 técnicas para lidar com os problemas cotidianos do ambiente de trabalho


Fonte: PEGN

Ninguém duvida que o trabalho gera um estresse agudo em empreendedores e profissionais. Em seu blog no site da Harvard Business Review, a psicóloga Heidi Grant Halvorson, do Centro de Ciência da Motivação da Columbia University Business School, apresenta nove dicas “cientificamente comprovadas” para lidar com o estresse. Ela lembra que “a diferença entre os bem-sucedidos e os demais não é que eles não sentem estresse, mas que eles sabem lidar com isso”. As nove táticas são:

1.Tenha autocompaixão.
Isso significa ter disposição para encarar seus erros ou falhas com simpatia e compreensão – sem severidade e sem ficar na defensiva. Segundo Heidi, estudos mostram que a autocompaixão torna as pessoas mais felizes e otimistas, menos ansiosas e deprimidas – e mais bem-sucedidas. A ideia de que ser exigente consigo mesmo nos leva a ter melhor desempenho “é 100% errada”.

2.Tenha em mente o quadro geral.
Estar consciente dos grandes objetivos pode ser muito motivador diante dos desafios, porque você vincula uma pequena ação a um propósito. Atividades que podem parecer mecânicas ou sem importância ganham outro significado sob essa perspectiva.

3. Adote rotinas.
Heidi diz que, ao enumerarem as causas de estresse, as pessoas raramente mencionam a pressão para tomar decisões, embora esta seja uma das atividades mais exaustivas do dia a dia. A solução é reduzir o número de decisões usando rotinas. Se há algo que você precisa fazer todo dia, faça todo dia do mesmo jeito. Um adepto dessa estratégia é o presidente Barack Obama – é por isso que ele usa apenas ternos cinza ou azuis.

4. Tire cinco ou dez minutos para fazer coisas que considere interessantes.
Pesquisas recentes mostram que assuntos que despertam seu interesse não só mantêm você atento, apesar de todo cansaço, mas também recarregam suas energias. Mas mantenha em mente que interessante não é o mesmo que agradável, divertido ou relaxante (embora também possa ser). Parar para comer um lanche não pode ser considerado interessante. Além disso, interessante não significa sem esforço. Portanto, não se deve confundir fazer algo interessante com “dar uma relaxada”.

5. Acrescente “quando” e “onde” à sua lista de coisas a fazer. 
Em vez de manter uma lista com vários itens e passar dias sem conseguir “ticar” nenhum, incluir o “quando” e o “onde” dobra ou triplica as chances de que sejam realizados, segundo “quase 200 estudos”. Programe, por exemplo, o horário do dia que vai dedicar a responder emails ou telefonemas.

6. Condicione suas reações.
A ideia é deslocar o foco das causas do estresse para o próprio estresse. Antecipe-se às situações e faça uma lista mental com frases do tipo “se eu vir um monte de emails na minha caixa, continuarei calmo e relaxado” ou “quando o prazo estiver se aproximando, vou manter a cabeça fria”.

7. Avalie seu trabalho em termos de progresso, não de perfeição.
Heidi diz que a diferença entre as duas coisas é a mesma entre “querer mostrar que você é bom e querer ser melhor”. Uma das grandes causas do estresse é comparar-se com outras pessoas ou mesmo consigo mesmo e não conseguir se equiparar. Todos sabem que se preocupar demais com o próprio desempenho aumenta a chance de erro.

8. Não se esqueça do que já realizou.
Perceber até que ponto você já progrediu numa determinada tarefa estimula as emoções, a motivação e a percepção durante um dia de trabalho. Os estudiosos chamam isso de “pequenas vitórias” que nos fazem ir em frente.

9. Descubra se o que funciona para você é otimismo ou pessimismo defensivo.
Algumas pessoas encontram dificuldade em se manter positivas quando têm muito a fazer, e tentar mudar essa disposição só vai acrescentar mais uma camada de estresse à lista de afazeres. Descubra seu “estilo motivacional” – note, por exemplo, se você é do tipo que trabalha para manter a máquina funcionando ou para obter uma promoção. Nenhum dos estilos é “errado”. Apenas se conscientize da maneira como você encara as coisas que precisa fazer e vá em frente sem se culpar.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

15 dicas sobre direito que todo empreendedor precisa saber

Fonte: PEGN




Todo empreendimento está constantemente envolvido em questões legais. Seja na hora de pagar um imposto, fechar um contrato, lançar uma marca, uma sociedade, ou mesmo fazer uma venda e lidar com o cliente.

Pensando nessas dificuldades, a Endeavor preparou uma seleção de 15 respostas dos melhores especialistas do Brasil para as dúvidas mais comuns dos empreendedores sobre aspectos jurídicos.

Conheça melhor sobre aspectos societários trabalhistas e tributários para te ajudar a enfrentar esses desafios.  Clique nos títulos para ler matérias especiais sobre cada tema.

Ao abrir o seu negócio, um dos pontos muito importantes que o empreendedor deve considerar é a estrutura legal que irá adotar.

2. Quais as diferenças, vantagens e desvantagens de cada estrutura legal de sociedade? Descubra as diferenças, vantagens e desvantagens de cada estrutura legal para saber qual é a mais adequada ao negócio dos seus sonhos.

Rodrigo Vella explica as principais diferenças entre o Acordo de Acionistas e o Memorando de Entendimentos (também conhecido como MOU ou LOI).

Se o acordo de acionistas for bem feito, vai estar empoeirado antes que você precise lê-lo de novo.

Rodrigo Vella explica que o Acordo de Acionistas pode variar de caso para caso, mas em linhas gerais, os aspectos que não podem faltar são: governança; transferências de ações; e solução de impasse.

Entenda que cada negócio tem sua dinâmica e maturação própria, por isso, não existe prazo especifico após o início das atividades para virar a chave e promover mudanças legais na sua empresa.

7. Participação societária: como dividir as fatias do bolo?Porque 50/50 é uma divisão ruim? Roberto Quiroga discute as diversas formas com que o Direito está inserido na vida de um empreendedor, em todas as etapas do negócio.

Todo empreendedor precisa saber o que define o vínculo empregatício para evitar irregularidades e se prevenir contra ações, tendo informações organizadas e sempre à mão.

Entre o correto e a prática, às vezes existe certa distância. Descubra a forma legal de se fazer o pagamento de pro labore antes de assinar os contratos.

Remuneração variável: Como garantir que estou legalmente fazendo a coisa certa e me precaver de ações trabalhistas.

José Carlos Wahle explica quais os principais erros cometidos pelos empreendedores relacionados a aspectos trabalhistas. Ele enfatiza os efeitos nocivos de quando uma prática errada vira um hábito dentro de uma empresa.

José Carlos Wahle conta como usar as diferentes formas de remuneração variável de acordo com a lei e, principalmente, de uma forma alinhada com os objetivos de longo prazo da sua empresa.

José Carlos Wahle explica a importância de se ter um processo de desligamento cuidadoso, pois o ressentimento é um motivador muito forte para processos trabalhistas.

Fazer uma boa administração tributária desde o começo pode fazer toda a diferença no sucesso do seu negócio.

Conheça os pontos que não podem faltar no seu Termo de Uso e entenda que é importante mantê-los atualizados à medida que o negócio evolui.

Quanto maior o sonho, maior a disposição para enfrentar os obstáculos. Mãos à obra! 

quarta-feira, 23 de julho de 2014

5º Encontro Nacional de Centrais de Negócios



A evolução das Centrais de Negócios é extremamente importante para o desenvolvimento de estratégias dos pequenos negócios, e o seu sucesso depende da conscientização de que a parceria é mais importante que a concorrência para a superação dos desafios.

O 5° Encontro Nacional das Centrais de Negócios contribui para a geração de negócios, acesso a novos mercados, benchmarking e comunhão de boas práticas empreendedoras. Participe e garanta a visibilidade de sua empresa, novas parcerias e bons negócios.

Saiba mais e inscreva-se em: www.enacen.com.br.

terça-feira, 22 de julho de 2014

Frutas e Vegetais inglórios - uma luta contra o desperdício de comida

Fonte: YouTube

O desperdício de mais de 300 milhões de toneladas com comida ao ano, inspiraram a Intermarché, uma rede de supermercados da França, a fazer sua parte para ajudar a resolver esse problema.  A ideia deles foi simplesmente genial. 
Veja o vídeo:


segunda-feira, 21 de julho de 2014

Como aumentar as visitas de uma loja virtual



Para aqueles que desejam saber como aumentar as visitas de uma loja virtual e não sabem por onde começar, esse artigo lista alguns pontos básicos que não podem faltar na elaboração ou revisão de uma estratégia de SEO (Otimização de Sites).
  
Como aumentar as visitas de uma loja virtualSabe-se que aumentar as visitas de uma loja virtual não é coisa rápida, já que as técnicas de SEO exigem um tempo de maturação. É um trabalho que exige dedicação além de muito trabalho com a produção do conteúdo e o processo de otimização de sites para ferramentas de busca, mas os resultados são compensam todo esse esforço.

A seguir, uma seleção dos nove pontos julgados os mais importantes para quem deseja atrair mais visitas para uma loja virtual. Os tópicos foram colocador por ordem de importância, mas sua aplicação vai depender das necessidades e condições específicas de cada loja.

1) A loja virtual foi lançada agora

No começo é meio difícil mesmo e a única solução é esperar para que a loja comece a ganhar prestígio junto aos buscadores. Um dos critérios para se conseguir boas posições nas páginas de respostas do Google é o tempo de existência do site e sua relevância no setor em que atua. O trabalho de SEO é uma estratégia que exige um prazo de maturação para começar a surtir efeito e a única coisa que você pode fazer nessa etapa inicial é tentar conseguir links de qualidade para sua loja.

2) Uso adequado de técnicas de SEO

Sua loja virtual não conseguirá boas colocações no Google se não forem aplicadas boas técnicas de SEO para e-commerce, tanto na estrutura da loja virtual quanto nas páginas de descrição de produtos. Esse é um trabalho que deve começar já na etapa de planejamento do e-commerce e continuar a cada publicação de um novo produto. Fazer um curso de SEO é a melhor opção ou então deixar esse trabalho a cargo de uma agência digital.

3) Adequação das palavras-chave

Muitas empresas não conseguem atrair mais visitas para loja virtual simplesmente porque as keywords selecionadas não são as mais usadas pelos internautas. Fazer uma boa seleção de palavras-chave e pesquisar os termos mais usados, com foco no seu público-alvo é essencial para que sua loja virtual consiga boas colocações no Google.

4) Sitemaps e Robots

Para complementar a otimização de uma loja virtual, uma das etapas do SEO no comércio eletrônico é a criação de arquivos de orientação de rastreamento – Sitemaps, e também do protocolo de exclusão, também conhecido como Robots.txt. Eles não só ajudam aos buscadores na hora da varredura do seu e-commerce, como também possibilitam alguns refinamentos na estratégia de SEO.

5) Conteúdo duplicado

Esse é um erro fatal para quem quer aumentar as visitas de uma loja virtual através de busca orgânica. Em nosso curso de e-commerce chegamos a dizer que copiar a descrição de produtos de outras lojas ou mesmo do fabricante é o maior erro de SEO no e-commerce que uma loja virtual pode cometer. Crie conteúdo único, exclusivo e de excelente qualidade para as páginas de produtos da sua loja.

6) Publique vídeos

É sabido que o uso de vídeos nas páginas de detalhes de produtos aumenta a taxa de conversão de uma loja virtual. Em termos de SEO isso também é muito importante, pois deixa a sua página mais rica em termos de conteúdo. Isso irá trazer mais relevância para as páginas do seu e-commerce e consequentemente irá melhorar seu posicionamento.

7) Crie um blog para a loja

Os blogs são excelentes ferramentas para atrair tráfego para uma loja virtual. A estrutura engessada da loja não permite muita liberdade para o trabalho de SEO, e por isso a criação de um blog para o e-commerce é uma das melhores estratégias não só para conseguir mais visitas para o site, como também, se tornar uma referência no segmento e fazer um ótimo marketing de conteúdo.

8) Consiga links para a loja

Uma das formas de atrair mais acessos para uma loja virtual é conseguir links de qualidade apontando para ela. Isso influencia diretamente o posicionamento das páginas nas SERPS, já que o critério de popularidade é muito importante para o cálculo do Page Rank e posicionamento do site.

9) Citações em redes sociais

As redes sociais estão ganhando cada vez mais importância em um projeto de SEO. As menções trazem relevância e autoridade para a loja, além do tráfego gerado pelos links publicados nelas. Tente conseguir um bom número de links nas mídias sociais, sem fazer SPAM, é claro. Isso vai ajudar seu SEO.

Aplicando essas recomendações as visitas em sua loja virtual aumentarão.  

quinta-feira, 17 de julho de 2014

10 Dicas para Melhorar a Gestão de seu Brechó


O mercado de brechó está em ascensão e nos últimos 5 anos cresceu cerca de 200%. Para aproveitar esta oportunidade de negócios, preparamos algumas dicas para melhorar a gestão de seu brechó, inovar e aumentar a competitividade.

Por Wilsa Sette Morais Figueiredo, Coordenadora Nacional de Varejo da Moda | 15/07/2014.


1- Segmentar:

O posicionamento pela segmentação (linha de produtos, estilo, público, luxo, etc) permite que você se diferencie, conheça melhor o perfil de seu cliente (atitudes, preferências, hábitos, costumes, relações sociais), incremente seus esforços de marketing e ofereça um atendimento diferenciado.

2- Fazer uma boa curadoria das peças 
Brechó RKDELUXE

Selecionar peças de qualidade, em bom estado de conservação, limpas, com estilo, que possam compor looks interessantes e sem defeitos são alguns cuidados que se deve ter ao comprar o estoque.


Procure, também, fazer compras que atendam ao seu público, para isto, será necessário conhecer os hábitos de consumo do seu cliente em seu brechó. 

Quanto mais você conhecer seu público consumidor mais chances terá de acertar ao adquirir seu estoque.
Neste caso, o importante é buscar peças exclusivas de qualidade que possam ser oferecidas a preços mais acessíveis.

Procure, também, fazer compras que atendam ao seu público, para isto, será necessário conhecer os hábitos de consumo do seu cliente em seu brechó. Quanto mais você conhecer seu público consumidor mais chances terá de acertar ao adquirir seu estoque.

Por exemplo, se seu público gosta de adquirir peças de qualidade, mas a marca não importa e sim o preço, de nada adianta buscar peças de marcas e oferecer preços mais elevados. Neste caso, o importante é buscar peças exclusivas de qualidade que possam ser oferecidas a preços mais acessíveis.

Seja imparcial na compra, evitando escolher produtos que somente atendam ao seu gosto.
Os clientes de brechó estão cada vez mais exigentes e sofisticados, e procuram peças de qualidade, com estilo e sem defeitos.

Somente no caso de brechó popular ou bazar, os clientes costumam aceitar peças com pequenos defeitos. 


3- Exponha e organize os produtos em sua loja para que sejam encontrados com facilidade

Brilhantina Brechó
Exponha os produtos por categorias: roupas de verão, roupas de inverno, jeans, sapatos, tênis, acessórios, cores, estilos etc. Separar os tipos de produtos facilita ao cliente encontrar e escolher o que deseja comprar. Quando os produtos ficam misturados são difíceis de ser encontrados e o cliente pode desistir da compra por não achar o que procura. Componha looks para orientar o cliente na escolha das peças.

Um bom exemplo é montar looks inspirados em celebridades ou grifes famosas. Neste caso mantenha a foto do look original próximo ao look montado pela loja.


Destaque os produtos em expositores, manequins e araras usando jogo de luzes. A iluminação realça o produto e chama atenção do cliente. 



Mantenha as roupas sempre limpas, passadas e cheirosas. Esta prática valoriza seu produto e atrai a atenção dos clientes. 


Organize um espaço para expor peças em promoção. Uma boa opção é que este espaço seja no fundo da loja e as peças em promoção separadas das demais peças que não estão em oferta.

4- Higienize seus produtos

Trabalhar com peças usadas requer cuidados que podem ir de uma limpeza básica até lavagem e higienização do produto.

As roupas usadas geralmente estão guardadas há muito tempo e podem conter fungos. No caso de adquirir roupas neste estado, a peça deverá ser lavada com bastante sabão, produtos com ação bactericida de preferência sem cloro para evitar manchar a roupa, tira mancha para roupas que possuem mancha, álcool, dentre outros.

De preferência, além de limpa, a roupa deve estar perfumada e passada.

É importante ter o mesmo cuidado com calçados e acessórios.

Uma opção para evitar o trabalho operacional com limpeza e higienização e elevar os custos da mercadoria é dar preferência para roupas limpas, sem manchas e sem defeitos, na hora de comprar seu estoque.

5 - Os produtos devem possuir etiqueta de preço

A etiqueta de preço deve ser legível, em tamanho proporcional que permita fácil leitura e não chame mais atenção do que o produto.
Quando o produto estiver exposto na vitrine, coloque a etiqueta de preço à direita da visão do cliente, na parte debaixo do produto, com cuidado para não escondê-la.

Os preços dos produtos expostos à venda devem ficar sempre visíveis aos consumidores enquanto o estabelecimento estiver aberto ao público, conforme Decreto nº 5.903, de 20 de Setembro de 2006.  Acesse outras informações importantes sobre precificação no site:


6- Ofereça várias formas de pagamento

Procure oferecer mais de uma forma de pagamento (à vista, cartão de crédito/débito ou cheque) ao cliente e evite perder uma venda.

Coloque em local visível um aviso com as formas de pagamento aceitas. Isto evita constrangimentos ao cliente quando for efetuar o pagamento.
Descontos para pagamento à vista tendem a ser uma vantagem tanto para o cliente quanto para o brechó. Informe sobre os descontos quando o cliente for efetuar o pagamento.


7- Tenha uma estratégia de marketing para atingir  resultados

Promover eventos, como desfiles, comemoração de aniversário, café da manhã, happy hour, são algumas sugestões para movimentar seu brechó e atrair mais clientes.

Divulgue em painéis, colocados em lugares estratégicos da sua loja, as celebridades que compram em brechós, matérias falando sobre as tendências de consumo da moda brechó no Brasil e exterior, estilo vintage, etc.

Estar presente nas redes sociais Facebook, Instagram, Blog, Pinterest, dentre outras, é uma boa opção para ganhar visibilidade, interagir com seu público e divulgar seus produtos.

http://www.ficoupequeno.com

Ter uma loja online, também, permite ganho de visibilidade e alcance de público. O importante é escolher a plataforma mais adequada para seu negócio, seja um marketplace, plataforma gratuita ou desenvolver o próprio site. Em todos os casos, os produtos precisam ser bem apresentados. Isto inclui uma boa foto dos produtos, ressaltando detalhes (botões, recorte, enfeites, etc) e o tamanho das peças (cintura, ombro, comprimento, etc).

Outros aspectos importantes, para quem tem um e-commerce de brechós, é oferecer várias formas de pagamento (cartão de crédito, boleto, à vista), ter uma política de trocas e logística.

Email marketing e cadastro em sites de busca são outras formas de promoção utilizadas.


8- Tenha um bom relacionamento com os fornecedores

Os fornecedores de brechós geralmente são pessoas físicas, por isto é importante ter uma boa rede de contatos com pessoas físicas para adquirir mercadorias. No início, procure trabalhar com consignação. Como o investimento é zero você consegue oferecer mais opções aos seus clientes.

Se optar por comprar a mercadoria, será necessário criar um padrão de precificação, seja por categoria de produtos, estilo, marca, ano de fabricação, etc. Isto facilitará na precificação do produto.

Defina uma política de pagamento dos fornecedores, os mantenha informados sempre que uma compra for realizada e cumpra seus compromissos financeiros. Esta prática demonstra transparência e transmite credibilidade.

9- Faça a gestão do seu estoque

Geralmente, os brechós trabalham com um estoque muito grande, itens muito variados e exclusivos. Isto dificulta o controle das mercadorias que entram e saem. Se a entrada e saída de mercadorias é realizada de forma manual, com o tempo, é possível que se perca o controle. As mercadorias precisam ser etiquetadas na entrada e baixadas na saída. Este procedimento, feito de forma manual, tende ser muito trabalhoso e sujeito a erros, deixando seu estoque desatualizado e sem controle.

Ter um sistema para controlar o estoque é fundamental. Isto permitirá melhorar a gestão de seu estoque, comprar melhor, conhecer os hábitos de consumo de seu cliente, fazer promoções, dentre outros.

10- Renove seu estoque com a customização de roupas, calçados e acessórios.

A customização de peças, sejam roupas, calçados ou acessórios, é uma ótima opção para renovar o visual de seu estoque.

Dar uma cara nova às roupas usadas é um costume cada vez mais utilizado por quem é adepto do consumo sustentável, aproveitando os produtos para que tenham uma vida útil maior.
Profissionais da moda e celebridades vêm investindo em customização para criar peças exclusivas a partir de peças antigas e praticar o consumo sustentável. 

A customização pode vir através de aplicação de bordados com miçangas, lantejoulas, apliques, tricô, crochê, etc. Outra forma é transformar uma peça em outra, por exemplo, uma calça jeans em bolsa, saia ou shorts.

Tingir a roupa, também, é uma boa opção para renovar. Os calçados podem receber apliques e cobertura de tecidos, assim como os acessórios podem receber novos componentes que os deixem mais modernos e atuais.
Estas são algumas das diversas formas para inovar e se diferenciar.




Use sua criatividade e mãos à obra! 

Estes e outros temas serão abordados no Fórum de Debates sobre o  Mercado de Brechós que acontecerá no dia 24/07 em Belo Horizonte.

Inscrições e informações:
0800 570 0800
Vagas Limitadas

www.forumdebrechos.com.br









terça-feira, 15 de julho de 2014

8 dicas para abrir seu primeiro negócio

Fonte: Revista PEGN


O primeiro passo é criar um bom plano de negócios: sem ele, a empresa pode ser tornar um fiasco (Foto: Photopin)







Embora o índice de mortalidade das empresas nascentes esteja caindo no Brasil, boa parte das microempresas não consegue superar os primeiros anos de vida. Entre os motivos, estão a falta de planejamento e de experiência, pouco capital para investir e má gestão. Confira 8 pontos que merecem a atenção dos novos empreendedores antes de abrir o primeiro negócio:
1. Aposte na experiência
Se o empreendedor não tem experiência na área em que deseja iniciar uma empresa, uma boa dica é procurar um sócio, funcionário ou até mesmo uma consultoria que já tenha certa experiência no ramo em questão.

2. Adquira capacitação e conhecimento
A busca pelo conhecimento sobre a área em que se quer atuar é fundamental. Cursos de capacitação são importantes para entender melhor os problemas cotidianos, desenvolver a capacidade de identificá-los e solucioná-los de maneira rápida, eficaz e mais econômica possível.


3. Elabore um plano de negóciosComeçar uma empresa sem um bom plano de negócios é o primeiro passo para o fracasso. Defina a estrutura operacional da empresa, crie um plano financeiro detalhado com o total do investimento, capital de giro, custos e previsão de rentabilidade da empresa no 1º, 2º e 3º ano. É aconselhável também criar um plano de marketing para identificar o público-alvo, mercado e estratégias de venda.

4. Gere valor para o cliente
Para se destacar em um mercado com tantos concorrentes é preciso levar em conta a importância de ter um diferencial e gerar valor para o cliente. Responder a perguntas do tipo: “Como mostrar que a minha empresa existe? Por que o cliente me daria a preferência? Qual é o meu diferencial?” ajudam a identificar e implementar novas estratégias.

5. Faça investimentos assertivos
Geralmente o empresário possui o capital necessário para o investimento, mas não consegue identificar de forma correta onde deve investir o dinheiro. Áreas como marketing, capacitação de funcionários e estruturais devem ser priorizadas, pois estão ligadas diretamente ao cliente e ao funcionamento da empresa.

6. Mantenha capital de giro suficiente
Antes de iniciar as atividades, tenha em mãos pelo menos o montante suficiente para manter as despesas gerais da empresa por um ano. Os primeiros meses são de adaptação ao mercado e não geram grande entrada de dinheiro no caixa, o que pode não ser o suficiente para pagar despesas essenciais da empresa.
7. Separe as finanças pessoais das finanças da empresa
Uma dica é estipular um salário para o proprietário, que deverá ser retirado juntamente como o pagamento dos funcionários. Evitar retirar dinheiro fora das datas pré-fixadas para o pagamento e manter bem estruturado o controle financeiro da empresa também são tarefas importantes.
8. Controle a ansiedade
A ansiedade pode causar grande frustação antes mesmo que clientes importantes tenham conhecimento de que sua empresa existe. Inúmeros fatores podem atrasar o reconhecimento da empresa, por isso os esforços devem ser direcionados corretamente, na busca por conhecimento e capacitação, vontade de trabalhar e incentivos para inovar.


quinta-feira, 10 de julho de 2014

BRECHÓS, um segmento em expansão


O mercado de artigos usados cresceu 210% em cinco anos e, neste segmento, os brechós ganham espaço.

Por Wilsa Sette Morais Figueiredo, Coordenadora Nacional de Varejo da Moda | 10/07/2014.



O número de pequenos negócios do comércio varejista de artigos usados com faturamento anual até R$ 3,6 milhões cresceu 210% nos últimos cinco anos, no Brasil. No período de 2007 a 2012, passou de 3.691 para 11.469 o número destes pequenos negócios, representando 95% do total das empresas do segmento especializado na venda de artigos usados de vestuário, acessórios, móveis, utensílios domésticos e eletrodomésticos[1].

Neste segmento, os brechós ganham destaque devido à mudança cultural dos consumidores brasileiros que, aos poucos, estão abandonando o preconceito de comprar roupas usadas.


Por representar um mercado de baixo risco e concorrência, público bem diversificado e investimento inicial relativamente baixo, os brechós surgem como uma oportunidade de negócio para empreendedores que desejam abrir uma empresa. Enquanto existem cerca de 800 mil pequenos negócios de vestuário e acessórios no Brasil, existem menos de 12 mil empresas no comércio de usados.

O crescimento dos brechós nas cidades brasileiras atraiu a atenção do SEBRAE. A instituição realizará ao longo do ano, o Fórum de Debates sobre o Mercado de Brechós em quatro capitais brasileiras para acompanhar mais de perto as tendências e mudanças neste segmento. O primeiro aconteceu em São Paulo (29/05), Belo Horizonte receberá o segundo em 24 de julho. Os próximos fóruns acontecerão no Rio de Janeiro (28/08) e Brasília (18/09).

Recentemente, o SEBRAE realizou um levantamento em sites de busca, Facebook e guias da internet, e apurou cerca de 500 brechós nas quatro capitais que vão receber o Fórum.


O evento tem o objetivo de reunir empresários e especialistas para debater sobre os desafios e oportunidades desse setor, levantar suas principais necessidades e subsidiar as ações do SEBRAE para apoiar o desenvolvimento e fortalecimento dos pequenos negócios desse nicho.

O fórum também será uma oportunidade para o SEBRAE conhecer melhor o mercado. Para isto, durante os Fóruns, a instituição fará uma pesquisa com os empresários para conhecer o nível de satisfação com os resultados financeiros, se pretendem expandir seus negócios, como se diferenciam da concorrência, dentre outros. 





O evento contará com a participação de empresários e especialistas no assunto que debaterão sobre os temas mais relevantes para o segmento.

http://forumdebrechos.com.br/palestrantes.html
Clique aqui e conheça nossos convidados.


Inscrições e Informações: www.forumdebrechos.com.br







[1] Cadastro SEBRAE de empresas.

terça-feira, 8 de julho de 2014

5 passos para o cliente lembrar de sua marca






Confira 5 passos para posicionar sua marca na mente do consumidor.

1) Identifique quem é o seu cliente
Identificar quem é o seu cliente é fundamental. Conheça em detalhe seu perfil, suas necessidades e interesses. Descubra por que ele compra seu produto e não o produto do concorrente. Quanto mais se relacionar com ele mais informações conseguirá.

2) Identifique o seu diferencial
Identifique o diferencial de sua empresa, algo que só você tem e dificilmente pode ser copiado. Este diferencial deve ser focado para o cliente, ou seja, o benefício que este diferencial trás deve atender a uma necessidade específica do cliente.

3) Identifique um espaço livre
Identifique uma categoria em que você possa se posicionar como líder ou que seja o melhor. Você tem que ser o primeiro a ocupar este espaço na mente do consumidor. O exemplo clássico é de um refrigerante que não era do sabor Cola e que se posicionou como o líder dos refrigerantes que não eram do sabor Cola. Este refrigerante criou uma nova categoria na mente dos clientes, a categoria dos refrigerantes não Cola.

4) Crie uma mensagem
Com este diferencial e esta categoria crie uma mensagem que demonstre o quanto você pode beneficiar seu cliente com este diferencial. Quanto mais criativa e clara a proposta mais fácil para memorizar a mensagem e consequentemente se posicionar.

5) Comunique esta mensagem
O principal ponto é atingir seu cliente na hora certa e com a mensagem certa. A comunicação de massa ajuda, mas a comunicação dirigida facilita muito este posicionamento. O boca a boca e as histórias contadas sobre um produto facilitam muito esta comunicação. No mundo digital esta comunicação dirigida não é feita boca a boca, mas pode ser rapidamente propagada nas redes sociais.

Com estes 5 passos sua marca será lembrada com maior facilidade.

terça-feira, 1 de julho de 2014

Sebrae promove a 1ª Pesquisa Nacional sobre o E-commerce Brasileiro


Levantamento permitirá a obtenção de informações importantes sobre o mercado que contribuirão para o planejamento e competitividade dos empreendedores digitais.
Se você tem um e-commerce, o Sebrae pode te ajudar a melhorar a gestão, organizar suas finanças, a logística e, consequentemente, aumentar o seu faturamento. Para isso, ajude-o a conhecer melhor o seu negócio participando da1ª Pesquisa Nacional sobre o E-commerce Brasileiro, uma parceria entre o Sebrae e o E-commerce Brasil. O objetivo é compreender a realidade, conhecer indicadores como número de empregados, faturamento, conversão de vendas e as principais dificuldades. 
As respostas ao questionário são importantes para a formulação de estratégias que fortaleçam os pequenos negócios deste ramo. A pesquisa demanda poucos minutos e deve ser respondida apenas por empresas que tenham e-commerce. As empresas que participarem da pesquisa serão mantidas em absoluto anonimato. 
Em caso de dúvida você poderá entrar em contato pelo telefone da Central Sebrae de Relacionamento: 0800 570 0800 ou via e-mail alexandre.ambrosini@sebrae.com.br
Para participar da pesquisa, acesse: https://pt.surveymonkey.com/s/Ecommerce14